Ícone do site Blog Aarin

Guia completo sobre a CIP – Câmara Interbancária de Pagamentos

CIP

Você sabe o que significa a sigla CIP? Ela representa a Câmara Interbancária de Pagamentos, órgão fundamental para o processamento de operações financeiras no Brasil.

Criada com o objetivo de promover transparência, eficiência e segurança às transações, a associação está por trás dos pagamentos realizados no dia a dia.

Neste artigo, você vai entender como funciona a Câmara e qual o seu papel no mercado financeiro, além de descobrir por que o Pix pode ser processado sem esse intermediário.

Aproveite a leitura!

O que é CIP (Câmara Interbancária de Pagamentos)?

CIP é a sigla para Câmara Interbancária de Pagamentos, órgão responsável por processar as transações financeiras no Brasil. 

Fundada em 2001 como uma associação sem fins lucrativos, a Câmara integra o SPB (Sistema de Pagamentos Brasileiro) e está ligada ao Banco Central, auxiliando no controle dessas operações. 

Para que serve a CIP?

Na prática, a principal função da Câmara é garantir a segurança e a eficiência das operações financeiras, trabalhando para evitar fraudes e golpes nos processos. 

Para isso, a associação atua no gerenciamento de todos os pagamentos e transferências. Veja algumas operações controladas pela CIP:

Segundo a pesquisa de Tecnologia Bancária produzida pela Febraban (Federação Brasileira de Bancos), foram mais de 103,5 bilhões de operações bancárias processadas só em 2020. 

Os dados coletados ainda revelaram que grande parte dessas transações aconteceu em ambiente digital: 51% delas foram realizadas pelo celular. 

Em 2021, segundo a própria Câmara Interbancária de Pagamentos, as operações representaram R$17 trilhões na economia brasileira. 

Como funciona CIP?

A Câmara Interbancária de Pagamentos atua com base nas diretrizes do BIS, sigla para Bank for International Settlements ou Banco de Compensações Internacionais, na tradução para o português. 

E o que isso quer dizer? 

Bom, significa que a associação segue o objetivo do BIS, que é promover a cooperação entre os Bancos Centrais de diferentes países, a fim de manter a estabilidade financeira.

Além de buscar essa integração, a Câmara tem outras ferramentas complementares para otimizar a gestão dos pagamentos no país, como:

Cada uma dessas vertentes contribui para que o órgão possa atuar como agente intermediário entre o cliente e o banco, fazendo a administração das transações financeiras. 

CIP e os marketplaces

Com o crescimento das operações online em comércios eletrônicos, o Banco Central incluiu os marketplaces na integração com a Câmara Interbancária de Pagamentos.

Por entender que os marketplaces também funcionam como agentes facilitadores de pagamentos, concluiu-se que eles participam do fluxo de liquidação intermediado pela Câmara.

Na prática, os marketplaces retém as taxas e comissões antes de repassar o pagamento aos lojistas que utilizam a plataforma para vender seus produtos. 

Dentro deste contexto, a plataforma atua como facilitadora, pois é responsável por intermediar essa operação financeira de repasse de valores. 

Qual é a relação da CIP com o PIX?

Apesar do Pix também ser uma operação financeira, os pagamentos realizados por esse método funcionam de maneira independente e não precisam ser processados pela Câmara.

Isso acontece porque as instituições financeiras se conectam diretamente com o Banco Central para concluir o processo, sem a necessidade de intermediários. 

No caso de pagamentos via TED ou DOC, por exemplo, o caminho é diferente. 

Primeiro, a operação passa pela Câmara Interbancária de Pagamentos e só depois chega ao STR (Sistema de Transferência de Reservas), do Banco Central, para então ser concluída.

Ou seja, o sistema Pix é independente de qualquer intermediação, já os outros métodos de pagamento precisam passar pela Câmara antes de chegarem ao seu destino final.

Por isso o Pix é mais ágil do que uma transferência bancária tradicional via TED, por exemplo.

Vale destacar que o nível de segurança no Pix é tão alto – ou até maior – do que os pagamentos que precisam da intermediação da Câmara Interbancária.

Isso porque o sistema de pagamento instantâneo conta com diversas camadas de proteção, desde a autenticação e os limites de transação até a criptografia e os motores antifraude.

A importância da CIP para o mercado financeiro

A Câmara Interbancária exerce papel fundamental na transparência e segurança das operações financeiras realizadas no Brasil.

Sejam elas em ambiente virtual ou físico, a intermediação de um sistema centralizado faz toda a diferença no processo, tanto em relação à proteção de dados quanto à eficiência das transações. 

Além disso, a Câmara também impulsiona o desenvolvimento de novas tecnologias, que possibilitam a inovação dos métodos de pagamento, reduzindo custos, aumentando a segurança e promovendo a otimização de soluções financeiras.

Como o split de pagamento pode ajudar seu negócio?

Como falamos, o Banco Central prevê que os marketplaces realizem suas transações dentro de um sistema de compensação e liquidação – no caso, a Câmara Interbancária de Pagamentos.

Para quem tem um marketplace e precisa se adaptar a essas determinações, o split de pagamento é um bom caminho para garantir que os processos ocorram corretamente. 

A ferramenta automatiza o repasse de valores aos lojistas, mantendo a segurança e evitando erros na distribuição. 

Neste ponto, investir em tecnologia é a melhor forma de otimizar processos e aumentar a qualidade dos serviços oferecidos ao consumidor.

Com o hub tech-fin da Aarin, por exemplo, você consegue unir a facilidade do split de pagamento à eficiência do Pix, preparando o seu negócio para as inovações do mercado financeiro.

Otimize o seu negócio com as soluções financeiras da Aarin!

Conclusão

Neste conteúdo, entendemos a função da Câmara Interbancária de Pagamentos e a sua importância na segurança das transações financeiras.

Como vimos, a associação funciona como intermediária, processando as operações de pagamento no país. 

Além disso, descobrimos que o Pix não precisa dessa intermediação para ser concluído, por isso é um método mais ágil de transferência do que os convencionais, como o TED.

Para quem atua no comércio eletrônico, entender os conceitos de Pix e Câmara Interbancária é um passo importante, pois ambos estão relacionados às transações realizadas neste ambiente.

Na prática, esse conhecimento ajuda a compreender os processos de pagamento e otimizar os serviços financeiros disponíveis no seu negócio.

Sair da versão mobile